Google Website Translator

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Aeronaves desativadas ou abandonadas pelo Brasil afora - I

Em todos os lugares do Brasil,  nos deparamos com aviões desativados, acidentados ou abandonados, aguardando seu destino final em algum ferro-velho. Essa é uma pequena compilação de alguns desses aviões. Um artigo apenas não é suficiente para relacionar todos, então certamente teremos outros artigos de continuação.
O PP-VLD, em foto do fabricante, em outubro de 1970
Propositalmente, evitaremos colocar aeronaves de museus, que já estão preservadas de alguma forma.
PP-VLD: Esse Boeing 727-41, c/n 20425, foi comprado novo pela Varig em 1970, e foi o primeiro jato da empresa dedicado especificamente a voos domésticos, embora a Varig tenha voado alguns Caravelles nessas rotas no início dos anos 60. 
O PP-VLD abandonado no pátio da TAP-ME, antiga VEM, em Porto Alegre
 O avião foi convertido em cargueiro puro em julho de 1989, e voou nas cores da VarigLog. Foi paralisado em 2005, com a falência da Varig, e ficou estocado ao ar livre no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. 

Tristes restos do PP-VLD, em Porto Alegre
Foi leiloado em 28 de junho de 2012, arrematado, mas não retirado do local, onde continua até hoje. Há notícias, no entanto, de que será restaurado e preservado.
O PT-JIU, quando ainda estava operacional
PT-JIU: Esse Piper Navajo foi acidentado em 1991 em Londrina/PR, após uma pane seca, e pouco antes de alcançar a pista do aeroporto. Era operado por um deputado federal da cidade, e teve perda total após o acidente.
Triste fim para uma bela aeronave: outdoor de ferro-velho
Foi canibalizado e sua fuselagem hoje serve de outdoor para um ferro-velho na zona sul de Londrina.
O PP-VME da Rico, em Manaus, logo depois que veio da Varig
PP-VME: Este Boeing 737-241, c/m 21000, foi comprado novo pela Varig, e entregue em outubro de 1974, sendo o primeiro 737 operado pela empresa. Em 2002, foi retirado de serviço e colocado à venda.
A carcaça sem motores do PP-VME, vista além do muro da INFRAERO no Aeroporto de São José dos Campos
Foi alugado pela RICO, para operar linhas aéreas desta empresa na região norte do país, em maio de 2004. Finalmente, foi retirado definitivamente de serviço em 2007 e armazenado ao ar livre em São José dos Campos, onde se encontra até hoje, em péssimas condições de conservação.
Tristes restos do PP-VME, destinados a virar sucata
S9-BAP: O Yakovlev Yak-40 do Clube Náutico Água Limpa foi operado para voos charters, entre 2001 e 2002, mas de maneira totalmente irregular, pois usava matrícula estrangeira, de São Tomé e Príncipe, e sem qualquer tipo de autorização do DAC - Departamento de Aviação Civil.
Único no Brasil, o S9-BAP está abandonado em Ribeirão Preto
Não demorou muito a ser interditado e paralisado em Ribeirão Preto, onde se encontra até hoje. 

Não se sabe que destino tal aeronave terá. A aeronave, ainda que em estado de abandono, está intacta e é vigiada pelo pessoal do Aeroporto Leite Lopes.

PT-CXQ: O Beech Queen Air PT-CXQ parece ter sido empregado em toda a sua vida útil como aeronave de aerofotos. Foi operado pela Cruzeiro-LASA, e depois passou para outros operadores, com a mesma função.
O PT-CXQ, quando operando na Cruzeiro, nos anos 70
Em 1997, foi paralisado em Penápolis/SP, e não voltou mais a voar, provavelmente em razão do alto custo de se manter uma aeronave complexa muito antiga
O PT-CXQ no posto Rodomaster, em Regente Feijó
O PT-CXQ acabou sendo adquirido pelo Posto Rodomaster, em Regente Feijó/SP, na região metropolitana de Presidente Prudente. Foi colocado em exibição no pátio do posto, com dois manequins como complemento, de um piloto e de uma comissária. Está bem cuidado e conservado. 

8 comentários:

  1. Triste ver estas aeronaves depois de anos de serviços prestados abandonadas sem nenhum zelo.

    ResponderExcluir
  2. São apenas máquinas que, assim como todas, tem vida útil. Um dia a vida útil se encerra e não tem muito o que fazer com elas. Claro que todas essas aeronaves tiveram sua própria história, mas muitas hoje não servem nem pra museu. Muitas estão em situação irregular ou "no limbo" nos nossos órgãos federais (ANAC, Receita). Os proprietários não querem ou não podem fazer nada com elas (ou simplesmente não existem mais). Não é mais viável economicamente operá-las e, mesmo se fosse, o custo e a burocracia pra regularizar a situação das aeronaves pode tornar a operação proibitiva. Uma saída seria como pontos turísticos (tipo a PT-CXQ que está no posto) mas nem sempre isso é possível. Algumas outras soluções criativas tb existem. Existem conversões de fuselagens em restaurantes, tem um DC-3 que serve de "biruta", entre outros exemplos. Mas o destino da grande maioria mesmo tinha que ser o ferro velho/reciclagem (se possível).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou a procura de aeronave para ponto turistico.

      Excluir
  3. Adianta muito lamentar veja o que virou nossas ferrovias ^^

    ResponderExcluir
  4. A primeira aeronave em que embarquei foi o PP-VLD, já convertido em cargueiro.
    Durante muitos anos um 737-200 o fez companhia no pátio da Varig Log, mas agora ele está lá sozinho.
    Saudades desta aeronave.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procuro avião desativado para colocar em ponto turistico

      Excluir

Gostou do artigo??? Detestou? Dê a sua opinião sobre o mesmo.