Google Website Translator

sexta-feira, 22 de maio de 2009

O fim dos Super Constellation da VARIG



A era inesquecível dos Constellation durou pouco. Esses aviões começaram a operar em um momento de transição: Os aviões a pistão chegaram ao limite máximo do desenvolvimento, enquanto os novos jatos entravam rapidamente em cena.

A transição para a era do jato foi mais brusca do que parece hoje. O último Super Constellation comprado pela Varig da Lockheed, o PP-VDF foi entregue em fevereiro de 1958. Em 1959, a Varig já recebia o primeiro Caravelle, e, em 1960, os primeiros Boeing 707.

A diferença entre voar de Constellation e de jato era brutal: Os Connie levavam de 24 a 25 horas para ir à Nova York. Um Boeing 707 levava pouco mais de 9 horas.

Com os 2 Boeing 707 iniciais (PP-VJA e PP-VJB), os Constellation foram rapidamente retirados da rota de Nova York. Entre o luxo e a rapidez, os passageiros optaram pela rapidez. A Varig ainda oferecia um serviço de bordo excepcional, mas o conforto dos Boeing 707 nem chegava perto do conforto dos Super G.

Se não fossem os problemáticos motores, os Super G da Varig poderiam ter tido uma sobrevida maior, pelo menos até a chegada dos Boeing 727 e 737, no início dos anos 70. Os últimos quadrimotores a pistão usados pela Varig, os Douglas DC-6B, só recentemente, já na década de 90, foram desmontados no Paraguai.

Lá por 1964/65, os Super H, que vieram da Real, ainda voavam como cargueiros regularmente, mas os Super G já estavam praticamente inoperantes. A Varig colocou todos os Constellation à venda. Conseguiu compradores para todos os H, todos convertidos em cargueiros, e para apenas um G, o PP-VDF. Os demais foram picados a machado, em 1967, em CGH e em POA.

O PP-VDF foi vendido para a Trans Africa, da Rodésia (hoje Zimbabwe) e matriculado VP-WAW. Teve uma carreira bastante movimentada na África, fazendo voos entre Salisbury (hoje, Harare) e Windhoek, na Namíbia. Participou da Guerra Civil de Biafra, fazendo voos fretados. Retirado de serviço, foi transformado em uma boate, perto do Aeroporto de Harare (foto abaixo), e foi desmontado provavelmente entre o final da década de 80 e o início da de 90.
O que resta hoje dos Super Connies da Varig: apenas um motor e um tip tank. Não sei o que fizeram com o simulador do avião, o primeiro grande simulador operado pela Varig.

A primeira foto é do Constellation L1049H PP-YSC, ex-REAL, em maio de 1962, em Miami, já convertido em cargueiro. (foto: Mel Lawrence - Airlines.net)

Um comentário:

  1. Na minha opinião o Constellation é o avião mais bonito produzido até hoje.
    Freitas

    ResponderExcluir

Gostou do artigo??? Detestou? Dê a sua opinião sobre o mesmo.