Google Website Translator

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Aeronaves assombradas: voo 401.

O vôo 401 da Eastern Airlines que decolou de Nova York para Miami, na sexta-feira, 29 de dezembro de 1972, operado por uma aeronave Lockheed L-1011 Tristar, novíssimo, tinha tudo para ser normal e rotineiro.

Era uma noite escura, sem luar, fria e calma, sem turbulências. Devido a uma falha na lâmpada que indica o travamento do trem de pouso dianteiro, o avião arremeteu na curta final para o pouco. Embora houvesse quatro pessoas no cokpit, a preocupação deles estava com o trem de pouso do avião.

O cauteloso comandante Robert Loft colocou o avião no piloto automático, mas, em um certo momento, ao sair de sua poltrona, para verificar se o problema do avião era apenas na lâmpada indicadora, empurrou o manche acidentalmente e desconectou o piloto automático. Ninguém percebeu o ocorrido, embora um sonoro alarme tenha soado no cockpit.

O avião iniciou uma lenta descida, afinal ninguém o estava pilotando, e acabou por se precipitar no pântano de Everglades. Cem pessoas morreram, inclusive Loft e Donald Repo, o engenheiro de bordo. A investigação concluiu que a causa do acidente foi uma combinação de falha de equipamento e erro humano.

Terminado a investigação, peças e componentes do aparelho sinistrado foram recolhidos para serem usados em outros aviões da Eastern.

Pouco depois, começaram os boatos: pilotos e tripulantes em vários vôos da Eastern declararam ter visto os fantasmas de Loft e de Repo, que apareciam com mais freqüência a bordo do avião número 318.

Nos primeiros incidentes, algumas aeromoças acharam que a cozinha inferior, onde a comida era preparada, estava anormalmente fria. Outras sentiram que havia alguém ali com elas, quando estavam sozinhas.

Um dia, um engenheiro de bordo chegou para fazer sua inspeção pré-vôo e viu um homem vestido com o uniforme da Eastern. Ele imediatamente reconheceu seu velho amigo, Don Repo, que chegou a dizer que o engenheiro não precisava se preocupar com a inspeção porque ele já tomara todas as providências.

Em um outro vôo, o fantasma do comandante Loft foi visto por um piloto e duas aeromoças.
Ocasionalmente, Repo ou aeromoças não identificadas eram vistos pelo painel de vidro do elevador da cozinha inferior - e então desapareciam antes da abertura da porta.

Houve ainda uma ocasião na qual Donald Repo falou com uma comissária. Disse - "cuidado com fogo nesse avião". Alguns dias depois, houve realmente um princípio de incêndio na aeronave, felizmente contido rapidamente pela tripulação.

Os boatos se espalharam pela empresa e fora dela. Vários passageiros amedrontados evitavam voar pela Eastern, a companhia mal-assombrada. Vários outros, entretando, voavam apenas para ver se conseguiam ver alguma coisa.

Uma investigação informal sobres essas histórias foi dificultada, obviamente, tanto pela recusa dos empregados em falar sobre o assunto quanto por uma série de anotações desaparecidas do avião. Mas os investigadores finalmente descobriram um fato intrigante: muitas peças recuperadas do vôo 401 foram posteriormente usadas em outras aeronaves, principalmente no avião número 318.

A Eastern mandou remover todas as peças recuperadas do voo 401 de suas aeronaves, e os fantasmas nunca mais apareceram.

Acredite se quiser...

Um comentário:

  1. É bem assim mesmo, as pessoas morrem e continuam fazendo as mesmas coisas que faziam quando estavam vivas...
    Esses aí continuaram trabalhando na empresa aérea, mesmo já estando do outro lado da vida.

    ResponderExcluir

Gostou do artigo??? Detestou? Dê a sua opinião sobre o mesmo.